27 de julho: Dia do Pediatra

27 de julho: Dia do Pediatra

No dia 27 de julho se comemora o Dia do Pediatra, mas também poderia ser lembrado como o dia do profissional que promove a saúde da criança, daquele que tem a missão de orientar os pais e toda a família para que as crianças tenham um desenvolvimento saudável e feliz!

O trabalho do pediatra começa já nos primeiros segundos de vida de qualquer criança. Sua presença é fundamental no momento da checagem dos sinais vitais do recém-nascido e nos testes e exames como o de Apgar – uma avaliação feita imediatamente após o parto e repetida após cinco minutos de vida do bebê. É uma verificação rápida sobre a saúde geral da criança, desenvolvido em 1952 pela anestesista Virginia Apgar. Neste momento, a presença do pediatra faz a diferença. Durante esses primeiros minutos de vida, é ele quem atua em casos de complicações cardíacas ou respiratórias.

Melhor prevenir do que remediar

No entanto, uma parte tão ou até mais importante da pediatria é a prevenção. O acompanhamento pediátrico nos cinco primeiros anos de vida é fundamental para o controle da alimentação, do desenvolvimento sensorial e motor das crianças e dos gráficos de crescimento e IMC (Índice de Massa Corporal). A Sociedade Brasileira de Pediatria atua fortemente na conscientização das famílias e dos profissionais sobre a importância desta fase, chamada de fase do Pleno Desenvolvimento. As consultas constantes servem para identificar riscos e tratar possíveis problemas de saúde desde cedo, incluindo doenças crônicas e também menos comuns na infância, como diabetes e hipertensão.

Ainda segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, 58% das 17 milhões de crianças dessa faixa etária no Brasil atingem seu potencial por completo. As outras podem ter dificuldades cognitivas quando chegar à idade escolar e adulta. Por isso é tão importante o trabalho bem feito de um pediatra. Ele é quem ajuda os pais com as inúmeras dúvidas que podem surgir neste período.

Breve história da Pediatria

Surgida em meados do século XIX, a pediatria pode ainda ser considerada uma especialidade médica nova. Abraham Jacobi (1830 a 1919) é conhecido como o “pai da pediatria”. Foi ele quem fundou uma clínica para crianças em 1860 em Nova Iorque.

Jacobi, nascido na Alemanha e radicado nos Estados Unidos, se tornou professor de enfermidades infantis no ano seguinte e assumiu uma cadeira de medicina na New York University até 1870, tornando-se professor de clinica infantil de médicos e cirurgiões. Também foi editor do American Journal of Obstetrics and Diseases of Women and Children, onde publicou diversos estudos importantes até o ano de 1880.

Além de Jacobi, muitos outros médicos lutaram por esta especialização que diminuiu os índices de mortalidade infantil e aumentou consideravelmente a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

Aqui no Brasil, conforme a especialização foi se ampliando, foram surgindo pediatras e associações em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Sul. Em 1910, com apenas 67 associados, foi criada a Associação de Pediatras do Rio de Janeiro que, em 1957 se nacionalizou e passou a ser considerada a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Pediatria do futuro

Além da crescente preocupação dos médicos com o aumento da expectativa de vida e como prevenir desde cedo as doenças crônicas da vida adulta, como diabetes e hipertensão, um tópico vem surgindo como assunto-chave também na pediatria: humanização. Independentemente dos avanços tecnológicos, é para aí que o futuro aponta. Estudos mostram que a tendência é a criação crescente de unidades de cuidados paliativos pediátricos e unidades neonatais e cuidados intensivos com acesso livre para os pais durante as 24 horas do dia. Além disso, serão cada vez mais comuns canais de comunicação que permitirão consultas não presenciais, fazendo o uso da tecnologia de vídeo e áudio que se aperfeiçoa a cada dia.

Fique de olho no futuro! Sendo ou não especializada em pediatria, saiba que sua clínica pode se modernizar e buscar por tecnologias que facilitem e otimizem o trabalho ao mesmo tempo que agradem, atraiam e fidelizem pacientes.

Uma ótima tecnologia que vem conquistando gestores e pacientes são os softwares de gestão médica, porém é muito importante que alguns pontos sejam levados em consideração para que a solução escolhida atenda às necessidades da clínica e não cause problemas ou prejuízos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *