Skip to main content

Conheça a importância de um médico praticar a empatia

Os médicos passam anos de suas vidas estudando com o objetivo de se tornarem bons profissionais. No entanto, aos poucos, vão perdendo a empatia e a prática de realizar um atendimento humanizado.  Neste artigo, vamos abordar como a empatia se faz essencial na área da saúde e a importância de ser desenvolvida por todos os médicos e demais profissionais.

Afinal, qual é a importância da empatia?

A empatia é uma maneira de se colocar no lugar do outro e exercitar como seria estar na mesma situação em que a pessoa se encontra. Sua importância na área da saúde está no fato de ser uma maneira de o médico praticar a sua sensibilidade ao atender o paciente com mais humanidade e atenção durante as consultas e tratamentos.

Conhecida por ser uma profissão em que apresenta diversas situações intensas, a Medicina é vista como uma profissão em que os médicos acreditam que precisam se distanciar de seu lado humano e pessoal para realizar um bom atendimento do paciente, isto é, tratando-os com mais frieza e menos contato.

Ao longo dos anos de faculdade e de carreira, vários fatores influenciam na perda de empatia dos profissionais da área da saúde, como muitas e intensas horas de estudo – para estar preparado para fazer um diagnóstico e se diferenciar no mercado – e por precisar saber lidar com doenças graves e ocorrências complexas que podem acontecer com um paciente.

O que é a Escala de Jefferson

Existem universidades que direcionam as suas disciplinas apenas nos estudos de teorias e conceitos das diferentes especialidades, esquecendo-se de que é preciso ensinar os alunos como devem atender seus pacientes. Dessa forma, há casos em que os estudantes vão realizar uma primeira consulta e se sentem quase que tão desconfortáveis quanto os pacientes, já que tiveram pouco contato com essa importante prática.

Porém, outras universidades estão utilizando a Jefferson Scale of Empathy (JSPE), ou Escala de Jefferson, nos anos que se referem ao período de seus cursos de Medicina para trabalhar e desenvolver a empatia nos futuros médicos.

Essa escala traz diversos itens a serem respondidos pelos alunos e resulta em uma pontuação capaz de medir os níveis de empatia dos estudantes. É comum que o teste seja realizado anualmente com o objetivo de verificar e analisar se estão ocorrendo alterações positivas em cada aluno.

Como ter empatia em uma consulta

Há diversas maneiras de um médico ser empático durante um atendimento com um paciente. Confira quais são as principais a seguir:

– Prestar atenção no que o paciente está dizendo sem interrompê-lo e permitir que apresente suas dúvidas sobre sua situação e/ou seu tratamento;

– Fazer contato visual para demonstrar que o paciente tem toda a sua atenção nesse momento;

– Ser gentil durante todo o processo de tratamento do paciente para que ele se sinta acolhido e seguro pelo profissional;

Quando a empatia é trabalhada em um atendimento, o paciente se sente mais confortável para falar sobre o que sente, assim como sobre suas inseguranças e medos. Essa é uma maneira de melhorar a relação entre médico e paciente por proporcionar uma aproximação entre ambos.

Você pratica a empatia durante as suas consultas e atendimentos? Conte para nós nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *