Dicas para receber bem pacientes com deficiência

Por Cecília Galvão em 15 de março de 2017.

De acordo com o último senso do IBGE, o Brasil tem hoje mais de 45 de pessoas com algum tipo de deficiência. Isso deixa claro que, boa parte da população, possui algum tipo, seja ela visual, motora, auditiva, física ou intelectual.

Certamente, o seu consultório ou clínica já atende as normas de especificação para receber bem esses pacientes, com rampas de acesso, corrimão de locomoção, sinalização sonora e até mesmo, profissionais que ajudam em caso de necessidade.

Só que promover a inclusão vai muito além de criar um ambiente adaptado para dar conforto. Na verdade, a MedPlus acredita que isso é o direto de todos. A diferença real se faz na preparação da equipe de atendimento para lidar com essas pessoas de forma humanizada. Isso desde o momento que ela chega na clínica, até a relação entre médico e paciente.

Para te ajudar a implementar ações que irão colaborar para o aumento de qualidade de sua marca, separamos alguns dicas para receber bem pacientes com deficiência.

Aproveite cada detalhe!

 

Pacientes com deficiência intelectual

É importante que toda a equipe esteja preparada para lidar com um paciente que tenha algum tipo de deficiência intelectual. Tanto que, alguns clínicas já deixam o prontuário do paciente acessível para todos os funcionários, assim qualquer um pode se inteirar de seu historio.

Se forem crianças, fale com eles da mesma forma que falam com adolescentes. Fale normalmente, se usar aquelas vozinhas infantis. Trate de forma normal.

Se for um adulto e perceber que ele está tendo um comportamento inadequado para o ambiente, seja claro no que irá dizer. Não deixe de apontar e de orientar, pois o sua inteligência funciona da mesma forma do que qualquer outra pessoa.

Pode ser que ele tenha mais dificuldade em entender as coisas e um aprendizado mais lento, mas não subestime o seu poder de compreensão e entendimento.

Nesses casos, vale a paciência para apontar questões quantas vezes forem necessárias até que ele se porte de forma coerente. Esteja preparado para lidar com perguntas ou questionamento por vezes seguidas, pois isso costuma ocorrer.

 

Deficientes visuais

Temos a impressão que deficientes visuais tem algum outro tipo de problema e costumamos falar com eles, da mesma forma na qual tratamentos crianças. Muita atenção para esses casos, pois ele pode se sentir ofendido.

Fale com ele da mesma forma que fala com qualquer outro paciente de sua clínica. Lembre-se sempre de que ele não vê, mas escuta perfeitamente bem e é capaz de decidir sobre o que deseja e a forma com que quer levar as ações.

O seu único dever é o auxiliá-lo em relação a locomoção. Essa sim é sua grande dificuldade.

Nesse ponto há um ponto que precisa ser observado com bastante cuidado e atenção. Algumas clinicas e consultórios, preferem colocar esse tipo de paciente em cadeiras de rodas e o levar até o local. No entanto, para alguns deles que tem plena vitalidade, isso pode soar como uma ofensa.

Tenha o cuidado e o filtro de entender quando a real necessidade do uso de cadeira de rodas para o conforto do paciente ou quando, a única coisa que ele precisa é de um auxílio para deslocamento.

Ao receber esse tipo de paciente, se apresente de forma clara, diga o seu nome e qual a sua função. Nesses casos, tudo precisa ser explicando nos mínimos detalhes. Aproveite para descrever o ambiente em que eles está e o que mais você julgar necessário para que ele se sinta confortável.

 

Pacientes com deficiência auditiva

Não adianta falar alto ou, praticamente, gritar, pois esse tipo de paciente tem dificuldade de reagir a estímulos sonoros, sendo assim, quanto mais agudo for o som, maior será a dificuldade que ele encontrará em te entender, compreende?

A melhor coisa é treinar toda a sua equipe para que eles sabiam, ao menos o básico, em língua de sinais. Porém, também é preciso levar em conta que muitas pessoas com deficiência não estão familiarizadas com esse tipo de linguagem, logo a comunicação fica impossível.

A melhor forma é falar de uma maneira clara, olhando para o rosto do paciente e sempre com uma linguagem simples, isso irá facilitar muito a comunicação.

É importante lembra-se que muitos desses pacientes fazem uso de aparelhos auditivos e isso ampliam a sonoridade do ambiente, sendo assim se sua sala de recepção trabalha com algum tipo de equipamento sonoro, talvez seja importante regular o volume para que não fique desconfortável a eles.

 

Pacientes com deficiência física

Por fim, os pacientes com deficientes físicos encontram um problema muito grande, muitos funcionários acabam se apoiando, por desconhecimento em sua cadeira de rodas e com isso, causando um grande incomodo.

Vale a pena prestar atenção nos detalhes, principalmente com o pudor em usar palavras como andar ou correr. Normalmente, parece que ao usá-las estamos constrangendo de alguma forma, não é mesmo?

Fique totalmente tranquilo quanto a isso! Eles mesmos usam esses termos sem nenhum problema e não fazer uso deles é que acaba os constrangendo, ainda mais!

Quando for conversar com eles, atente-se sempre a sentar em uma altura da qual você o olhe no mesmo nível, isso causará um conforto e mostrará que você tem respeito por sua condição.

No mais, atenção, paciência, carinho e cuidado são os ingredientes principal para que toda a sua equipe consiga fornecer o conforto que eles tanto merecem.

Eles são pessoas como qualquer outra, só precisam se adaptações especial.

Cecília Galvão

Líder de atendimento
Atua no atendimento da MedPlus há quase 2 anos e possui experiência nas áreas de atendimento ao cliente, suporte técnico, implantação e sucesso do cliente.