Sua clínica médica está preparada para a LGPD?

É hora de ter uma clínica preparada com LGPD para médicos. Não há mais tempo a perder, saiba o que a gestão de clínicas médicas precisa para isso.

Por Aline Patricia em 15 de janeiro de 2021.

Vivemos na era da informação, em um mundo cada vez mais conectado e digital. Com internet banking, compras online e o universo das redes sociais, boa parte de nossas vidas, tanto no âmbito social quanto profissional, está acontecendo em um ambiente digital.

E nessa realidade, as informações de cada pessoa estão se tornando ainda mais importantes. Afinal, é a partir dos seus dados que você tem acesso à sua conta de banco, ao seu cartão de crédito e até ao contato que você tem com amigos, familiares e colegas de trabalho.

Então, já parou para pensar no tamanho do problema que você enfrentaria se alguém colocasse a mão nas suas informações? Com apenas seu CPF, alguém mal intencionado pode ter acesso aos dados de alguém, trazendo problemas sérios para esta pessoa, como será visto ao longo do artigo. 

Seus pacientes também estão correndo esse risco e parte da responsabilidade está nas suas mãos. Afinal, a agenda, os cadastros e os prontuários de sua clínica médica estão repletos de informações sobre eles! Se esses dados vazarem, você criará problemas enormes.

É aí que entra a Lei Geral de Proteção de Dados. A LGPD (Lei 13.709) é uma Lei relativamente nova, que busca garantir a segurança das informações pessoais neste mundo digital.

Por isso, se adequar à LGPD precisa ser uma prioridade na gestão de clínicas médicas! Entenda a necessidade da Lei e coloque sua clínica em ordem com o nosso conteúdo:

A LPGD precisa ser uma prioridade na sua clínica!
LGPD para pacientes: os riscos do vazamento de dados para quem frequenta sua clínica
O perigo do papel e a importância de uma gestão de clínicas médicas mais digital
Você precisa ter uma teleconsulta segura com a LGPD
Como se adequar à LGPD agora?

A LPGD precisa ser uma prioridade na sua clínica! 

Sua clínica médica está preparada para a LGPD? | MedPlus

Agora é hora de responder a pergunta do título: sua clínica já está preparada para a Lei Geral de Proteção de Dados? Se você ainda não estiver com todos os seus processos adaptados à nova Lei, não há mais tempo a perder!

O objetivo da Lei Geral de Proteção de Dados é proteger informações pessoais e sensíveis. Assim, ela busca evitar que as pessoas sejam alvos de golpes, fraudes digitais e tantos outros problemas que podem ser causados pelo vazamento dos seus dados.

Essa proteção vale para praticamente todo o tipo de empresas, inclusive clínicas médicas. Nesse caso, o cuidado com as informações é para proteger tanto sua clínica e seus profissionais quanto os seus pacientes.

Não é só isso: se sua clínica não estiver adaptada, você corre o risco de sofrer sérias punições, que incluem:

  • Advertências para casos menos problemáticos;
  • Multas altas, que podem chegar a R$ 50 milhões (dependendo do faturamento anual da clínica);
  • Suspensão total ou parcial das atividades da empresa.

Como você pode ver, as punições são sérias e as vantagens de se adaptar à Lei são muito grandes. Por isso, é urgente que as clínicas médicas estejam preparadas para a LGPD!

LGPD para pacientes: os riscos do vazamento de dados para quem frequenta sua clínica

Além dos perigos para sua clínica, você também precisa levar em conta os riscos que seus pacientes passam se você não se adequar à LGPD. Afinal, o foco nos pacientes é central para a gestão de clínicas médicas.

Sem o devido cuidado com os dados, você deixa seus pacientes vulneráveis a sérios impactos financeiros e também sociais, que incluem:

  • Compras não autorizadas no cartão de crédito;
  • Movimentações criminosas no internet banking;
  • Golpes telefônicos;
  • Divulgação de informações íntimas;
  • Falsidade ideológica.

Esses são apenas alguns exemplos dos perigos de não adequar sua clínica à LGPD. E ainda vale mencionar que se seu paciente for um empresário, você estará colocando a empresa em risco também. 

Saiba mais no nosso artigo: Como deixar o paciente mais seguro com a LGPD nas clínicas médicas?

O perigo do papel e a importância de uma gestão de clínicas médicas mais digital

Planejamento financeiro na clínica de oftalmologia | MedPlus

Há duas exigências centrais da LGPD para clínicas médicas. A primeira delas envolve o fato de que as pessoas são titulares exclusivas das suas informações. Por isso, para que uma empresa colete, armazene e use esses dados, é preciso pedir permissão.

Essa autorização deve ser feita através de um termo de consentimento, que o paciente pode assinar presencialmente. No entanto, nem todos vão ir até sua clínica apenas para assinar um papel, não é? 

Para conseguir a autorização de todos os seus pacientes, vale a pena ter uma clínica mais digital, com um sistema de gestão médica que permita o envio automático de e-mails para os pacientes registrados no seu cadastro.

Assim, você pode enviar o termo de consentimento de forma digital e rápida, sem que sua equipe precise perder muito tempo com isso.

a segunda exigência da LGPD envolve a proteção dos dados que sua clínica está armazenando. Mesmo se você tiver a autorização do paciente, qualquer vazamento de informações vai ser de sua responsabilidade!

E é nesse momento que uma clínica médica mais digital se torna indispensável. Anotações em agendas físicas, post-its, prontuários impressos e todos os outros tipos de papéis são muito arriscados no dia a dia de uma clínica. 

Afinal, qualquer um pode visualizar esses dados e causar um vazamento de informações. Isso sem falar no perigo de perder esses documentos e armazená-los em lugares indevidos.

Por outro lado, com um sistema de gestão médica você pode se livrar totalmente dos documentos em papel e levá-los para um ambiente digital, muito mais seguro.

No entanto, o mundo online também pode ser perigoso se você não contar com um sistema realmente preocupado com a sua segurança. Por isso, busque ter um software com um ambiente de acesso seguro, para que as informações não possam ser acessadas de fora com tanta facilidade.

Também é importante ter níveis de acesso diferentes, para que cada profissional da sua clínica só possa ver os dados realmente essenciais para o seu trabalho.

Por fim, é interessante que a empresa responsável pelo seu sistema de gestão conheça profundamente a LGPD, para te ajudar a se adequar às suas exigências.

Esse é o caso da MedPlus. Nossa empresa conta com a estrutura de segurança de informações da Amazon AWS, que é uma das mais modernas e seguras do mundo. Além disso, oferecemos níveis de acesso diferenciados e temos uma equipe inteira capacitada para te ajudar a lidar com a LGPD.

Saiba mais: Garanta a segurança dos dados de sua clínica ou consultório médico com o MedPlus!

Você precisa ter uma teleconsulta segura com a LGPD

Muitos gestores de clínicas e consultórios médicos já perceberam como a teleconsulta realmente mudou o atendimento ao paciente. O potencial dela para complementar o atendimento presencial é enorme – mesmo fora dos tempos de pandemia.

No entanto, para realizar esses atendimentos a distância, é preciso tomar certos cuidados para garantir a segurança do seu paciente e também de sua clínica. Por isso, o ideal para ter teleconsultas seguras é contar com uma ferramenta de telemedicina integrada ao seu sistema de gestão.

Um bom sistema com telemedicina facilita o preenchimento do prontuário e a validação com a assinatura digital, o que dá validade jurídica para todo o processo. Assim, você tem mais tranquilidade para oferecer teleconsultas seguras e adequadas à LGPD.

Também é importante contar com um sistema que ofereça links únicos, com privacidade e segurança em cada consulta. 

Além disso, você só pode fazer o atendimento depois que o paciente assinar o termo de consentimento. Esse termo deve ser disponibilizado pelo próprio sistema, assim que o paciente acessar o link.

Tudo isso está disponível no MedPlus. Confira: Sistema de gestão médica MedPlus com telemedicina.

Como se adequar à LGPD agora?

Já percebeu a importância da LGPD na sua gestão médica? Ela é essencial para garantir a segurança não apenas do seu paciente, mas também dos seus colaboradores e da própria clínica!

Então, se você ainda não estiver adequado à nova Lei, é hora de entender como deixar sua clínica médica realmente protegida.

Podemos relacionar 4 passos que são essenciais para isso:

  1. Conseguir a autorização dos pacientes para coletar, armazenar e usar suas informações, através de um termo de consentimento;
  2. Digitalizar a agenda, o prontuário e o cadastro de pacientes, com um sistema de gestão que tenha experiência para proteger os seus dados;
  3. Rastrear todas as fontes de dados da sua clínica. Você deve saber de onde vem cada informação a respeito dos pacientes, para garantir que elas estejam autorizadas para uso e armazenamento;
  4. Liberar a portabilidade de dados, pois o cliente tem o direito de requisitar todas as informações sobre seu próprio tratamento a qualquer momento.

Quer saber mais? Preparamos um artigo com dicas essenciais para você ter uma clínica realmente pronta para atender às demandas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD): Veja 6 dicas para preparar a sua clínica para a LGPD.

Sabemos também que podem surgir dúvidas durante a adequação. Então separamos um artigo específico para você ter mais tranquilidade nesse processo: 4 dúvidas esclarecidas sobre a LGPD nas clínicas médicas.

Mas para ter acesso a ainda mais informações, organizadas para realmente buscar total segurança para a clínica e seus pacientes, você pode conferir nosso eBook gratuito:

Aline Patricia

Gerente de Produto
Formada em Administração, há 11 anos atua na MedPlus no atendimento ao cliente e atualmente é Gerente de Produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *