Faturamento de convênios: você está fazendo corretamente?

Por Thais Geron em 13 de dezembro de 2019.

O faturamento de convênios é uma parte complexa e integrante da administração de clínicas médicas. Tanto, que muitos profissionais erram no momento de realizar essa atividade, o que gera glosas e, consequentemente, prejuízos.

Por isso, é preciso que você tome algumas medidas para garantir que está realizando as cobranças corretamente e, dessa forma, garantindo a saúde financeira da sua clínica ou consultório.

Para ajudá-lo a fazer essa observação, listamos alguns pontos que precisam ser observados. Veja, a seguir!

Entendimento das partes envolvidas no faturamento de convênios

Quando falamos em faturamento de convênios é preciso considerar as três partes que estão envolvidas no processo: o paciente, o prestador de serviço e o plano de saúde propriamente dito.

O paciente é a pessoa que contrata um convênio para poder ter facilidades ao cuidar da sua saúde, como agendar consultas médicas a um valor mais acessível do que o particular.

Já o prestador de serviço, por sua vez, é o médico credenciado ao convênio, que faz o atendimento aos pacientes em sua clínica ou consultório. Finalmente, temos o plano de saúde, que faz a ponte entre as outras partes.

É papel do médico, de período em período, repassar o faturamento aos convênios. Assim, os profissionais serão pagos corretamente pelos serviços prestados aos pacientes.

Utilização da tabela TUSS

A tabela TUSS contempla uma série de códigos para os serviços médicos. É essa tabela que determina o valor de cada procedimento e quanto deve ser repassado, pelos convênios, para as clínicas e consultórios.

Consultas de rotina, atendimento de emergências, procedimentos cirúrgicos, entre outras atividades são precificadas pelos planos de saúde. Assim sendo, sempre que realizarem uma dessas ações, as clínicas e consultórios precisam listar as informações seguindo um padrão.

Caso isso não seja feito, no momento em que o faturamento de convênios é repassado, ocorrerão as glosas. Ou seja, os planos podem encontrar falhas e se negar a pagar por determinados procedimentos.

Suporte de um software de gestão

Conforme explicamos, a tabela TUSS é o que mais deve ser observada para garantir um correto faturamento de convênios. Convém lembrar que essa lista é baseada na Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos, que contém mais de 200 páginas com diversas atividades que podem ser desenvolvidas pelos profissionais da saúde.

Controlar tudo isso em uma agenda de papel ou usando planilhas de Excel é um método arcaico e que, além de demandar muito tempo, é demasiadamente suscetível a erros. Por isso, usar um software de gestão é fundamental.

Os softwares de gestão possibilitam que seja feito o fluxo de caixa da clínica, o registro de todas as atividades realizadas, o faturamento mensal, entre diversas outras funções. Porém, é preciso ter cuidado na escolha!

Não é qualquer software de gestão para clínicas médicas que deve ser escolhido! Você precisa encontrar uma opção que ofereça a integração com a tabela TUSS. Somente assim será possível fazer o faturamento de convênios de forma correta e evitar que erros aconteçam no momento das cobranças.

O MedPlus é um sistema que conta com essa funcionalidade e pode ajudar muito a sua clínica ou consultório nas tarefas relacionadas ao faturamento de convênios. Saiba mais sobre isso em nosso artigo que fala sobre o impacto dos erros da tabela TUSS.

Thais Geron

Gerente de Produto
Administradora especialista em Informática em Saúde, com 16 anos de experiência na MedPlus e na área médica.