Como fica a telemedicina com os planos de saúde?

Descubra como os planos de saúde estão procedendo diante das teleconsultas realizadas em suas clínicas e consultórios médicos.

Por Aline Patricia em 01 de julho de 2020.

A partir da evolução da telessaúde surgiu a telemedicina: o uso de tecnologias de comunicação e informação para melhorar o atendimento à saúde de seus pacientes. 

Uma das modalidades da telemedicina permite que consultas entre o paciente e um profissional da saúde sejam feitas através de uma plataforma de videoconferência. Essa possibilidade se chama teleconsulta

Em 2018, uma portaria visando aprovar as modalidades da telemedicina – incluindo a teleconsulta – foi aprovada pelo CFM. Porém foi rapidamente revogada antes de entrar em vigor, por conta das discussões e receios que permeavam o meio médico. 

A teleconsulta foi liberada através da portaria n°467 do Ministério da Saúde, em caráter emergencial, a fim de atender a demanda da pandemia da COVID-19. 

Por muito tempo essa não era uma prática legalizada, mas a teleconsulta logo se tornou essencial durante a pandemia para frear a transmissão do vírus e garantir que pessoas seguissem com suas consultas médicas. Afinal, essa opção ajuda a manter a saúde do médico e do paciente a salvo. 

Se quiser saber mais sobre como essa tecnologia pode ajudar sua clínica, confira o post: Como a telemedicina está transformando os atendimentos?

Tendo em vista todas as vantagens da aplicação de teleconsultas em uma clínica, surge uma pergunta. Como os planos de saúde estão lidando com os atendimentos virtuais realizados em clínicas e consultórios médicos? 

Continue sua leitura e confira tudo sobre este assunto: 

O que a ANS tem a dizer sobre as teleconsultas e os planos de saúde

Como fica a telemedicina com os planos de saúde? | MedPlus

De acordo com a nota técnica de número 6/2020 da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), os atendimentos médicos que forem realizados à distância, ou seja, as teleconsultas, devem ter cobertura obrigatória dos planos de saúde.

A nota liberada pela ANS também esclarece o questionamento de muitos profissionais a respeito da necessidade de incorporação do atendimento feito pela Telemedicina ao Rol de Procedimentos obrigatórios dizendo:

“Por todo o exposto, considerando que os atendimentos realizados por meio de comunicação à distância não se caracterizam como novos procedimentos, mas apenas como uma modalidade de atendimento não presencial, esta área técnica entende que não se faz necessário e nem adequado atualizar o Rol de Procedimentos e Eventos de Saúde […]”

No que diz respeito aos pacientes, as teleconsultas  também podem ser reembolsadas pelos planos de saúde, considerando a forma prevista no contrato do plano em questão.

A ANS também esclarece que, para garantir à proteção jurídica necessária, tanto para o médico, quanto para o paciente, a telemedicina não depende de alteração contratual para funcionar plenamente nos planos de saúde. 

Contudo, alguns ajustes podem se fazer necessários no que diz respeito a alguns procedimentos realizados através da telemedicina. 

Outra questão que deve ser definida é a remuneração do profissional de saúde. Pode ser que ela seja a mesma das consultas presenciais ou sofra alguma alteração. Isso fica a critério de cada operadora de planos de saúde. 

Vale destacar que todas essas medidas serão válidas enquanto o país seguir em estado de emergência, ou a chamada ESPIN (Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional). 

A tendência é que a teleconsulta siga sendo utilizada em clínicas e consultórios depois que a pandemia estiver mais amena. Contudo, isso depende do que as autoridades decidirão a respeito da telemedicina no futuro. 

Por essa razão, é muito importante que os profissionais sigam atentos às notícias do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Saúde Suplementar.

A fiscalização das teleconsultas

A fiscalização dos planos de saúde costuma ser bastante rigorosa. E isso fica ainda mais latente no que diz respeito às teleconsultas realizadas. Assim, haverá maior garantia para os pacientes, beneficiários e também para o ressarcimento dos médicos. 

Segundo a ANS, os atendimentos feitos em caráter de urgência que forem justificados por atestado de um médico não poderão ser adiados, mesmo considerando o momento de crise devido à pandemia.  

Além do mais, tratamentos mais sérios e que não podem ser interrompidos, como as pacientes de pré-natal ou pessoas com doenças crônicas ou da oncologia, continuarão seguindo normalmente com os procedimentos e atendimento. Contudo, é necessária uma declaração de um médico atestando que essa é a situação do paciente.

Saiba quais as iniciativas dos planos de saúde de sua clínica ou consultório em relação à telemedicina

Como fica a telemedicina com os planos de saúde? | MedPlus

Sempre que se trabalha com planos de saúde, é preciso seguir informado sobre as novidades das empresas e as diretrizes que serão colocadas em prática por elas. 

É importante destacar que ainda estão sendo decididas outras diretrizes para regulamentar e lidar com os atendimento realizados pela telemedicina. Por isso, contate as operadoras de planos de saúde e saiba como elas estão agindo a respeito disso. 

Para garantir a sua segurança, o ideal é que você entre em contato com a assistência dos planos de saúde para verificar qual a remuneração aplicada e a documentação exigida para a telemedicina.

Lembre-se de descobrir como se dará o pagamento pelos atendimentos através da telemedicina e aproveite para tirar dúvidas sobre o faturamento desses convênios

Telemedicina e o sistema MedPlus

Ao contar com o sistema de gestão médica MedPlus, sua clínica ou consultório tem acesso à ferramenta da telemedicina integrada a todas as outras funcionalidades do sistema. 

Suas teleconsultas acontecem de maneira segura e, durante o atendimento ao paciente, é possível verificar informações essenciais, como o prontuário eletrônico. 

Além do mais, caso seu paciente necessite de algum medicamento, basta prescrever o tratamento e certificá-lo através da ferramenta de assinatura digital, integrada ao seu sistema MedPlus.

Contar com a ferramenta certa para a realização da telemedicina é muito importante. Para saber como fazer a escolha correta acesse o blog da MedPlus e confira o post: Como contratar um sistema com teleconsulta?

Quer ir mais a fundo e saber tudo sobre a telemedicina? Então confira nosso eBook gratuito:

Aline Patricia

Gerente de Produto
Formada em Administração, há 11 anos atua na MedPlus no atendimento ao cliente e atualmente é Gerente de Produto.