Skip to main content
O que levar em consideração para precificar devidamente os serviços da sua clínica

O que levar em consideração para precificar devidamente os serviços da sua clínica

Quando um médico decide abrir uma clínica, ele precisa ir além da sua área – a prática da medicina em si – e aprender bastante sobre administração, colocando em prática diversos conceitos administrativos para gerir bem seu negócio e fazê-lo crescer.

Um dos grandes desafios desse novo empreendedor é a gestão financeira. Já demos diversas dicas de boas práticas para um gerenciamento financeiro de excelência e hoje vamos falar de mais um tópico acerca desse tema: a precificação dos seus serviços.

Saber quais áreas e o que impacta nos valores a serem cobrados pelas consultas médicas é um dos principais pré-requisitos para gerir bem seu negócio. Neste artigo você confere quatro fatores que devem ser levados em consideração para precificar os serviços prestados pela sua clínica. Acompanhe a leitura!

Gastos fixos

Gasto fixo é toda verba gasta independente do paciente comparecer às consultas ou não.

Dentre os gastos fixos, destacam-se as despesas referentes ao pagamento de funcionários e repasse médico, além do pagamento de contas fixas – ou que variam pouco – como aluguel, energia, água e internet.

Custos

Já os custos são os valores gastos pela sua clínica para que se possa efetivamente prestar o serviço.

Aqui encaixam-se os valores referentes aos materiais e insumos que serão utilizados no procedimento, realização de exames, bem como outros gastos relacionados ao custo do procedimento em si.

Para facilitar, pense nos custos como todo o dinheiro gasto, caso o paciente compareça à clínica, ou como todo o dinheiro não utilizado, caso o paciente falte.

Despesas variáveis

As despesas variáveis são aquelas que devem ser utilizadas como base para precificar um serviço, mas que nem sempre possui um custo fixo em relação a sua utilização. Assim, deve-se considerar as despesas variáveis como uma “margem de erro”.

Aqui encaixam-se os gastos com manutenção de equipamentos – que normalmente é feita dentro de um período regular, mas que pode ser necessária antes do período por conta de adversidades como quebra de algum aparelho -, manutenção de softwares e hardwares, emergências, etc.

Margem de lucro

Por fim, é preciso se atentar também à margem de lucro esperada. Em relação a esse valor – que, dentre todos, é o que mais pode variar – é necessário pensar em outros aspectos antes de calculá-lo.

Para definir o valor da margem de lucro pense nos objetivos da clínica nos próximos meses. Por exemplo, se seu negócio é novo e tem poucos clientes, há duas opções:

  1. Diminuir a margem de lucro por um tempo para atrair e fidelizar pacientes mais rápido.
  2. Manter a margem de lucro no valor esperado e investir boa parte da verba nas estratégias de marketing dos próximos meses e, assim, garantir o mesmo resultado.

A margem de lucro, embora variável e flexível, é muito importante para que se possa investir em melhorias, contratar novos funcionários, aumentar o número de pacientes atendidos, melhorar a infraestrutura, bem como organizar e gerir melhor todas as áreas – diminuindo os erros e desperdícios de recursos. Por isso, ela deve ser bem pensada e repensada sempre que necessário.

Precificar seus serviços é uma tarefa importante para o bom andamento da sua clínica. Esperamos que nossa lista te ajude nesse processo!

Queremos saber sua experiência! Quais fatores você leva em consideração para precificar seus serviços? Utiliza outras estratégias além das que listamos? Conte-nos através dos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *