Como deixar o paciente mais seguro com a LGPD nas clínicas médicas?

Ao ler este blog entenda a importância dos dados e ofereça mais segurança para seus pacientes com a LGPD em clínicas médicas.

Por Thais Geron em 08 de janeiro de 2021.

A nova Lei Geral de Proteção de Dados já está valendo e as clínicas médicas do Brasil inteiro precisam estar preparadas para ela. Afinal, a LGPD (Lei 13.709) deve transformar profundamente a gestão médica, principalmente no que diz respeito à segurança das informações de clínicas e pacientes.

Apesar dessa mudança parecer assustadora para muitos gestores, ela está totalmente alinhada com uma das principais tendências da medicina do futuro: aumentar cada vez mais o foco dedicado aos pacientes.

Isso porque o objetivo da nova Lei é proteger as informações das pessoas e evitar que seus pacientes se tornem alvo de golpes, fraudes e muitos outros problemas que podem ser trazidos por um vazamento de informações.

Por esse motivo, preparamos este conteúdo especial para te mostrar por que é tão importante adequar sua clínica médica à LGPD para proteger seus pacientes. Continue sua leitura e entenda:

A importância da LGPD para clínicas médicas
A medicina e os dados sensíveis de seus pacientes
Por que validar seu prontuário eletrônico?
6 dicas para preparar a sua clínica para a LGPD.

Agora siga com sua leitura e entenda muito mais sobre o porquê de adequar-se à LGPD e cuidar da segurança de seus pacientes.

A importância da LGPD para clínicas médicas

Por que a prescrição digital veio para ficar em clínicas médicas? | MedPlus

A adaptação à nova Lei é tão importante porque, de acordo com a LGPD, cada pessoa é a titular única e exclusiva de suas informações pessoais. Isso significa que para uma empresa coletar, armazenar e usar quaisquer dados de alguém, ela precisa de uma autorização dessa pessoa.

Essa exigência inclui também consultórios e clínicas médicas. Todas as informações usadas no seu trabalho precisam ser autorizadas, e isso inclui tudo que você armazena nos seus cadastros de pacientes, agenda médica e prontuário – seja de forma física ou digital.

O ideal é que essa autorização seja feita através de um termo de consentimento, que o paciente pode assinar na clínica ou receber via e-mail, por exemplo.

Mas não é só isso. De acordo com a LGPD, além de ter uma permissão dos pacientes, sua clínica médica também precisa garantir a segurança dessas informações.

Isso significa que o acesso às informações deve ser feito apenas por pessoas autorizadas. Qualquer vazamento ou compartilhamento indevido pode incorrer em punições para a sua clínica. Por isso, não dá mais para deixar essas informações soltas por aí, em documentos de papel. 

É hora de ter uma clínica médica mais digital, com um sistema de gestão que tenha prontuários eletrônicos, conexão em ambiente seguro, diferentes níveis de acesso a partir de senhas distintas e uma atenção especial à LGPD.

Conheça o MedPlus: o sistema ideal para sua clínica médica estar em dia com a LGPD.

Caso sua clínica não se adapte a essas necessidades, você pode ser punido de acordo com a gravidade do problema. Em casos mais simples, a punição pode ser apenas uma advertência. Ocorrências mais graves, contudo, causam multas altas e até a suspensão das atividades da clínica. 

Vale lembrar que as punições começam a ser aplicadas em agosto de 2021, com a regularização do órgão responsável para fiscalizar a LGPD. Mesmo assim, a lei já está valendo e sua clínica precisa estar preparada, para evitar que você enfrente esses problemas.

Além disso, a punição não é o único problema do descumprimento da LGPD, e não deve ser o foco da sua gestão médica. Afinal, a nova Lei tem o objetivo de proteger seus pacientes, e é isso que você deve levar em conta para tomar o máximo possível de cuidado com as informações que eles lhe confiam.

Vamos falar mais sobre a relevância da LGPD para pacientes, para que você possa oferecer para eles um atendimento mais cuidadoso e responsável. Algo que vai, inclusive, ajudar na fidelização deles!

Mas antes, nós preparamos um conteúdo para te ajudar a entender mais sobre os impactos que a nova Lei vai ter na sua profissão. Confira ou salve para ler mais tarde: Lei Geral de Proteção de Dados: o que é e quais são os impactos na área da saúde?

Sabemos também que ainda podem restar dúvidas sobre como esse processo vai funcionar em sua clínica médica. Por isso, resolvemos algumas das principais questões, para você se adequar à LGPD com muito mais tranquilidade: 4 dúvidas esclarecidas sobre a LGPD nas clínicas médicas.

Agora que você já tem esse material para preparar sua clínica, vamos voltar para o foco mais importante do trabalho médico: a atenção aos pacientes:

A medicina e os dados sensíveis de seus pacientes

A LGPD é essencial para todos os tipos de empresas que lidam com clientes. Afinal, hoje em dia todos os negócios dependem de informações pessoais para abrir um crediário, emitir uma nota fiscal, entregar algum produto, entre muitas outras ações.

Contudo, a nova Lei é ainda mais importante para clínicas médicas, afinal, profissionais da medicina não armazenam apenas esses dados pessoais, como nome, números de documentos, telefone, endereço, etc.

Ainda que o vazamento desses dados seja algo muito problemático, há outro tipo de informações previstas na LGPD que são ainda mais complicadas: são os dados sensíveis.

Essa categoria inclui dados sobre convicções religiosas, posições políticas, origens étnicas, vida sexual e informações de saúde; e esses dois últimos costumam estar presentes em muitos prontuários médicos, não é?

O vazamento dessas informações pode causar sérios problemas para seus pacientes. Por isso, a responsabilidade de uma clínica médica é ainda maior do que a da maioria das empresas.

As consequências do vazamento de dados para o paciente

Como a telemedicina está transformando os atendimentos? | MedPlus

Para você reconhecer a verdadeira importância de cuidar dos dados de seu paciente, precisamos falar sobre o tipo de consequência que eles vão enfrentar caso sua clínica médica deixe essas informações vazarem.

Mas, antes, é preciso lembrar de um detalhe. Mesmo que seu cadastro não conte com dados financeiros como número de cartão, por exemplo, hackers eficientes conseguem utilizar dados mais básicos (como o número do CPF) para conseguir essa informação. 

Por isso, qualquer pequeno vazamento de dados pode ser devastador para seu paciente!

Então agora, para começar, podemos falar sobre os impactos financeiros que seus pacientes podem sofrer, caso sua clínica médica não cuide dos dados de forma adequada.

  • Compras não autorizadas

Qualquer pessoa que consiga colocar as mãos nos dados de seu paciente pode começar a se aproveitar deles através de compras online. Esse tipo de fraude é muito comum e pode criar um grande problema financeiro.

Hackers experientes muitas vezes começam realizando compras pequenas, para não chamar a atenção na fatura do cartão. Assim, quando seu paciente notar, o rombo nas suas contas já vai estar enorme.

  • Movimentações no internet banking

Com as informações certas, os hackers podem acessar as contas de banco do seu paciente e realizar todo tipo de transações e transferências. 

Isso significa que um pequeno vazamento de dados em sua clínica pode fazer com que o paciente tenha sua conta do banco totalmente esvaziada, em um roubo cibernético difícil de rastrear.

  • Golpes

Se o número de telefone de seu paciente cair em mãos criminosas, essa pessoa pode rapidamente se tornar vítima de golpes telefônicos, que vão pedir número do cartão, transferências financeiras, entre outros tipos de chantagem.

Isso fica ainda mais eficiente se o criminoso conseguir acessar mais dados. Com o CPF, por exemplo, ele pode se fazer passar por um agente do banco do seu paciente. Com nomes dos filhos, ele pode até simular um sequestro. 

E esses são apenas exemplos. Há inúmeras formas diferentes de golpes telefônicos, que podem afetar seus pacientes financeiramente e até psicologicamente, principalmente se eles forem de idade mais avançada.

Além dos problemas financeiros, também é importante levar em conta o impacto social que o vazamento pode causar.

  • Falsidade ideológica

Com os dados de seu paciente, um criminoso pode se fazer passar por ele, além de enviar e-mails ou contatar pessoas em seu nome. Esse tipo de roubo de identidade pode ser devastador para as relações sociais de uma pessoa.

  • Divulgação de informações íntimas

A partir do vazamento em sua clínica, um criminoso pode divulgar informações íntimas de seu paciente, criando sérios problemas para ele. Entre essas informações, podemos mencionar o quadro médico dele. 

Há muitas doenças que sofrem preconceito na sociedade e a divulgação pode acabar dificultando a vida de seu paciente.

E não é só isso: com os dados vazados da clínica, um hacker pode ter acesso a mais informações, senhas e até dispositivos de seus pacientes; alcançando fotos e informações ainda mais íntimas e privadas.

  • Direcionamento de opinião

Recentemente, um imenso escândalo abalou a credibilidade do Facebook. Dados de usuários estavam sendo usados por terceiros para direcionar a opinião pública com notícias falsas e outros tipos de informações.

Tudo isso buscava favorecer determinados lados políticos. Esse uso da Big Data é um sério risco para a autonomia das pessoas e também para a democracia. E é possível que as informações de sua clínica também acabem nesses bancos de dados, sendo usados de forma criminosa para direcionar as opiniões de seus pacientes.

Além disso, também é preciso considerar que muitos de seus pacientes também são proprietários de empresas. Com os dados deles, um hacker pode criar problemas para a empresa ou até invadir as informações dos seus clientes, aumentando ainda mais o alcance da ação criminosa.

Por que validar seu prontuário eletrônico?

Além de evitar esses problemas, a LGPD também busca melhorar a autonomia de uma pessoa com seus dados. O paciente pode, por exemplo, requisitar que a  clínica médica disponibilize todas as informações presentes em seu prontuário eletrônico.

Isso dá a ele um histórico completo dos seus atendimentos, permitindo que o cuidado com a sua saúde seja mais completo, mesmo que ele dependa de diferentes profissionais.

Mas, para oferecer isso, sua clínica precisa estar adequada às exigências da LGPD, principalmente com a assinatura eletrônica para validar seu prontuário eletrônico. Isso formaliza seu atendimento e também protege o médico, comprovando suas ações com o paciente.

Por isso, vale a pena contar com um sistema de gestão que disponibilize prontuários validados com assinatura eletrônica, como é o caso do MedPlus.

Pacientes mais seguros com a LGPD

Como vimos, a LGPD é focada em garantir a segurança das pessoas, dando a elas total autonomia sobre os seus dados. 

Por isso, se sua clínica estiver adequada à nova Lei Geral de Proteção de Dados, você estará fazendo tudo ao seu alcance para que seus pacientes fiquem seguros nesta era digital. Assim, você oferece um cuidado mais responsável para eles e conquista uma maior fidelização do seu público.

Esse deve ser um dos seus principais objetivos. Por isso, veja tudo que sua clínica ou consultório médico precisa saber para se adequar às exigências da LGPD e oferecer um atendimento mais seguro para seus pacientes:

Thais Geron

Gerente de Produto
Administradora especialista em Informática em Saúde, com 16 anos de experiência na MedPlus e na área médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *