Burnout na clínica médica: os desafios para médicos e gestores em 2021

Médicos, equipe e pacientes da clínica médica estão sofrendo com um sério esgotamento por causa da pandemia. Saiba como lidar com o burnout médico.

Por Cecília Galvão em 29 de abril de 2021.

O esgotamento e a Síndrome de Burnout serão problemas comuns na gestão médica de 2021. Afinal, clínicas e consultórios do Brasil todo sofreram com os impactos do coronavírus, e isso está deixando marcas profundas na saúde de todos.

Viver em uma realidade de pandemia por mais de um ano já é um grande problema, mas trabalhar como médico e gerir uma clínica dentro desse cenário é algo ainda mais complicado.

Por isso, é essencial falar sobre a gestão da saúde de três figuras: os pacientes, os médicos e a própria clínica!

Continue conosco para saber mais sobre como a pandemia, no estágio atual, está afetando a saúde de todos e veja como a gestão pode ajudar a amenizar esses desafios.

Médicos cansados: como está a saúde dos profissionais de sua clínica?
Muito além da covid-19: as formas como a pandemia afeta a saúde de seus pacientes
Como está a saúde de sua clínica?
Qual é o papel do gestor de clínicas no cenário atual?

Médicos cansados: como está a saúde dos profissionais de sua clínica?

Burnout na clínica médica: os desafios para 2021

É de conhecimento geral que a principal frente de batalha contra a covid-19 é composta por profissionais da área da saúde, como médicos e enfermeiros, além das outras pessoas que trabalham nos hospitais. 

Com mais de um ano de pandemia, muitos profissionais estão apresentando esgotamento físico e mental – fruto do intenso trabalho e do risco, somados a uma série de questões que desestimulam sua atuação.

Mas não é só a linha de frente que está sofrendo. Os profissionais de saúde que atuam em clínicas e consultórios que não atendem à covid-19 diretamente também estão passando por momentos difíceis em vários aspectos. 

Muitos estão enfrentando a chamada Síndrome de Burnout: um cansaço extremo que afeta tanto seu rendimento no trabalho quanto sua vida no cotidiano. Entre os sintomas estão: sensação de esgotamento, apatia, desesperança, irritabilidade e muito mais.

Em 2020, 78% dos profissionais de saúde do Brasil sofreram com os sintomas da Síndrome de Burnout (dados da PEBMED).

Infelizmente, esse é um problema comum no meio médico. Especialistas associam o distúrbio aos altos índices de estresse que são inerentes à profissão. 

A responsabilidade sobre a saúde e o bem-estar de seus pacientes é, muitas vezes, o principal motivo para essa sensação. Esse cuidado é o coração do trabalho de um médico, mas também acaba afetando-o profundamente, principalmente quando somado com outros fatores.

Para médicos, é comum atuarem durante longos períodos, com muitas horas de trabalho, entre o atendimento na clínica e os plantões, por exemplo. Tal rotina é cansativa e diminui o tempo para atividades pessoais e familiares. E pode piorar se o médico não consegue tempo para tirar as merecidas férias.

E, é claro, precisamos considerar o cenário da pandemia, que é preocupante e altamente restritivo. Simplesmente acompanhar o noticiário requer um bom preparo psicológico hoje em dia. 

Sem falar na crise financeira e na queda dos atendimentos que muitas clínicas estão enfrentando como consequência da pandemia prolongada. 

Afinal, há um afastamento do paciente devido ao isolamento social e também aos próprios problemas financeiros dele. Isso prejudica o processo de fidelização e reduz o faturamento da clínica. Essa percepção também atinge a saúde mental dos médicos.

O resultado disso tudo são profissionais à beira da exaustão!

Além de abalar a produtividade e a vida pessoal dos médicos, essa exaustão pode até afetar seu atendimento na clínica. Profissionais mais estressados e cansados têm mais riscos de cometerem erros dentro de sua rotina, e isso é um problema sério.

O relacionamento com o público também é afetado quando o médico está sofrendo com o esgotamento. Afinal, os pacientes vão até a clínica em busca de ajuda e de orientação, o que exige paciência do profissional para explicar e tirar todas as dúvidas. 

Um médico esgotado muito provavelmente terá dificuldades em oferecer o melhor atendimento neste momento. Por mais capacitados que sejam, estamos falando de seres humanos. As limitações físicas e mentais também vão acabar atingindo-os.

A situação pode piorar se o paciente também não estiver bem. 

Muito além da covid-19: as formas como a pandemia afeta a saúde de seus pacientes

A principal medida preventiva contra o coronavírus é o distanciamento ou o isolamento social. Contudo, essa ação, que tem como objetivo proteger, acabou causando uma ansiedade generalizada que, hoje, está prejudicando muitas pessoas.

Junto dela vem o risco à saúde e a preocupação com o bem-estar de entes queridos, fatores que também afetam a saúde mental da população. Isso é ainda mais acentuado em pessoas que não podem cumprir o isolamento social por causa do trabalho.

Além disso, acompanhar diariamente o crescimento do número de mortes, a lotação dos hospitais e outras notícias sobre a gestão da pandemia também atinge profundamente o psicológico de qualquer um.

Tudo isso acaba criando uma constante sensação de medo, cansaço e mal-estar nas pessoas.

Em um seminário virtual da Academia Brasileira de Ciências, o especialista Joel Birman afirmou que o período pós-pandemia provavelmente vai demandar o trabalho de muitos psiquiatras, psicanalistas e psicólogos para cuidar da saúde mental das pessoas que se sentiram profundamente afetadas pela pandemia.

  • Nesse cenário, torna-se indispensável que o seu atendimento seja aconchegante para os pacientes da clínica. É preciso demonstrar empatia, compreender o momento deles e trabalhar com ainda mais cuidado. Leia mais: Como fazer uma gestão médica centrada no paciente?

Como está a saúde de sua clínica?

Burnout na clínica médica: os desafios para 2021

Diante desse cenário, também é essencial avaliar a situação de sua clínica. Para a maioria das especialidades que não lidam com doenças respiratórias, este tempo de pandemia causou um esvaziamento da sala de espera e vários horários vagos na agenda.

Junto com isso vem a queda na fidelização de pacientes, redução do faturamento e até prejuízos financeiros. Sem falar no impacto na saúde mental dos colaboradores da clínica. 

Então, uma das melhores dicas de gestão financeira para tempos de crise é o planejamento. Estude as suas finanças e avalie como é possível sustentar a clínica mesmo enquanto a arrecadação não estiver em alta. 

Saiba mais: Planejamento financeiro para clínicas em tempos difíceis.

Nessa situação, existem três pontos-chave para os quais o gestor precisa dar uma atenção especial:

  • A segurança financeira da clínica médica.
  • O estado de saúde física e mental de toda a equipe de trabalho.
  • O trabalho de fidelização para evitar o afastamento dos pacientes.

Uma boa opção para isso é contar com o teleatendimento a fim de ampliar as possibilidades de sua clínica, mesmo com pacientes em isolamento social. Veja: Como a teleconsulta do MedPlus mudou o atendimento ao paciente em clínicas pelo Brasil?

Qual é o papel do gestor de clínicas no cenário atual?

Vivemos um momento delicado para a população como um todo, e isso inclui médicos, pacientes e a própria clínica. Portanto, o papel do gestor é mais importante do que nunca.

Hoje, esse profissional precisa:

A implementação da telemedicina é excelente nesse momento. Com ela, os pacientes menos graves e que não necessitam de um exame físico podem realizar suas consultas de forma remota (com a possibilidade, inclusive, de compartilhamento dos laudos e exames via plataforma de telemedicina).

Isso garante muito mais comodidade, segurança e tranquilidade para pacientes e médicos, além de diminuir o fluxo de pessoas na clínica, ajudando na contenção da transmissão do vírus.

Conheça a ferramenta de telemedicina do MedPlus.

Outro ponto importante é o gestor acompanhar mais atentamente do que nunca como está o trabalho de todos os funcionários da clínica médica. 

Falta de rendimento pode ser indicativo de que algo está errado. Se for o caso, para descobrir qual o problema, a gestão precisa construir uma comunicação aberta e acolhedora com os funcionários para que eles se sintam confortáveis em conversar com sinceridade. Somente dessa forma será possível saber como ajudá-los.

De fato, os últimos tempos têm sido desafiadores para a sociedade em geral. E o fato de isso ser o resultado de uma calamidade relacionada à saúde coloca as clínicas e consultórios médicos no centro das discussões.

Neste momento, o gestor precisa, além de praticar o autocuidado, ter atenção e zelo redobrados com a administração da clínica para garantir seu pleno funcionamento. 

Contar com um sistema de gestão médica como o MedPlus pode ajudar mais a otimizar o fluxo de trabalho. Esse não é um remédio para o Burnout, mas pode ajudar a garantir uma rotina mais tranquila e organizada, junto a uma séria diminuição no estresse.

Saiba mais sobre o potencial da tecnologia nas clínicas lendo o nosso eBook:

Cecília Galvão

Líder de atendimento
Atua no atendimento da MedPlus há quase 2 anos e possui experiência nas áreas de atendimento ao cliente, suporte técnico, implantação e sucesso do cliente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *